Torre de Belém

A Torre de Belém, situada no estuário do Tajo, serviu inicialmente como torre de defesa para proteger Lisboa. Posteriormente, sua missão foi relegada a farol e centro aduaneiro.

A Torre de Belém, de estilo manuelino, foi construída entre 1515 e 1519 e é obra de Francisco de Arruda. Em 1983, foi declarada Patrimônio Cultural da Humanidade pela UNESCO. 

A torre está situada na desembocadura do rio Tejo e inicialmente serviu para a defesa da cidade, e posteriormente se tornou centro alfandegário e farol. Está muito perto do Monastério de Jerônimos

Interior da Torre de Belém

Ao entrar no térreo, você encontrará 16 janelas com canhões defensivos e também pode visitar os fossos e buracos por onde jogavam os prisioneiros.

A torre em si tem cinco andares e termina em um terraço. Os andares se conectam unicamente por uma pequena escada caracol, a qual, nos dias mais lotados, pode ter longas filas e ser uma experiência claustrofóbica.

Os andares são, de baixo para cima: Sala do Governador, Sala dos Reis, Sala de Audiências, Capela e Terraço. 

A gárgula do rinoceronte

Na fachada oeste da Torre de Belém você irá encontrar uma curiosa gárgula de um rinoceronte. O primeiro rinoceronte em pisar em Portugal chegou da Índia em 1513. 

Horário

De outubro a abril, das 10:00 às 17:30 horas.
De maio a setembro, das 10:00 às 18:30 horas.
Fechado: às segundas-feiras, 1º de janeiro, Domingo de Páscoa, 1º de maio e 25 de dezembro.

Preço

Adultos: 6€ (combinado com o Mosteiro dos Jerônimos, 12€, e com o Mosteiro + Museu Nacional de Arqueologia, 16€).
50% de desconto: maiores de 65 anos e portadores do cartão jovem.
Grátis: menores de 12 anos e portadores do Lisboa Card.

Transporte

Bonde: linhas 15.
Ônibus: linhas 27,28, 29, 43, 49, 51 e 112.
Trem: Belém, linha de Cascais.